#CorujasCriativas - 2: Katia Lourenço

Updated: Feb 9, 2019


Por Elizandro Duarte

-


Aproximadamente 24% da população brasileira possui algum tipo de deficiência e é com esse público especial que Katia Regina Conrad Lourenço busca contribuir no seu cotidiano profissional. Atuando na área de consultoria e treinamento, em comunicação e acessibilidade para inclusão social e com um espírito empreendedor voltado ao compartilhamento de conhecimento e ao desejo de tornar o mundo um lugar mais acessível e democrático, Katia concedeu com exclusividade essa entrevista para a Sabedorama. Confira.


Imagem André Felipe Fotografia

Qual a sua área de atuação?

Hoje, minha área de atuação, diz respeito aos lugares que uma pessoa com deficiência trabalhe ou conviva. Faço um trabalho de consultoria e treinamento, desde para ensinar como se comunicar com respeito e eficiência com uma PcD (Pessoa com Deficiência), inclusive surdos, através da língua de sinais, como capacitar colaboradores ou atendentes em empresas e lojas que tenham funcionários com PcD ou mesmo clientes. Quase 24% da população brasileira tem alguma deficiência, um número que pode aumentar muito em grandes centros urbanos. São muitos clientes para conquistar com minha ajuda!


Quando você iniciou as atividades na área?

Minha vida profissional começou bem cedo. Com 17 anos eu cursava o magistério e já atuava como professora em 2003. Desde 2005 atuo também como tradutora e intérprete de libras. Anos depois comecei a lecionar essa disciplina e hoje, além de manter minha paixão com o ensino e ser pesquisadora e professora em curdos de formação e pós-graduação específicos, também empreendendo nesse ramo.


Quando e de que forma o desejo empreendedor entrou na sua vida?

Um pouco de necessidade, já que esse ramo tem vasta área de atuação e ainda está escasso

de profissionais, com uma pitada de ambição. Percebi muitos profissionais empreendendo e,

com isso, fazendo a diferença no mundo com muito sucesso. Acho que despertou em mim um

por que não tentar também?, por que não empreender comunicação e acessibilidade também? A partir daí, comecei a buscar informação e conhecimento na área.


Em sua opinião o que significa ser empreendedora?

É olhar para aquilo que já faz, ou aquilo que gosta, que está ao seu alcance, e transformar em

um negócio, em um empreendimento lucrativo. O empreendedor é criativo, inovador, ousado

e organizado: pesquisa, entende e desenvolve as estratégias que vão delinear seu futuro.



Katia Lourenço

Qual a importância do conhecimento para o empreendedor?

Não apenas conhecimento é vital à sobrevivência do empreendedor, como conhecimentos

específicos e em diferentes áreas: conhecer com propriedade o produto e/ou serviço prestado, bem como tudo que envolve a administração e funcionamento de uma empresa. Ainda que ele não execute tudo, deve conhecer todos os processos.


Como o curso realizado na Sabedorama contribuiu para o seu negócio?

A Sabedorama recriou a empresa toda! Era um negócio simples, com várias lacunas. Hoje a

Want desenvolve todo seu planejamento numa visão 360°. Antes, o Acesso Libras trabalhava

apenas com surdos e comunicação em libras. Hoje, a Want vem resolvendo as dificuldades de

comunicação e acessibilidade em geral, rompendo barreiras e conectando pessoas com

quaisquer dificuldades em lojas, empresas e demais instituições.


E de que forma a mentoria impactou a sua atividade?

Foram as mentorias que se iniciaram já durante o curso de Empreendedorismo Criativo que

transformaram efetivamente isso tudo num negócio! Redirecionaram meu olhar e minhas

atitudes, tanto na vida cotidiana pessoal como dentro do trabalho, profissional.


Katia Lourenço e Kel Boaretto

Como é ser empreendedora em um segmento que se relaciona direto com o

compartilhamento de conhecimento e com o crescimento intelectual das pessoas?

É assumir uma grande responsabilidade frente à sociedade: em ser sincera, clara e responsável pelas informações que compartilho. Além de ter obrigação de ser a primeira a buscar eternamente o mesmo: o crescimento intelectual. E hoje o meu maior desafio é ser a única no que faço em minha cidade e grande região! Mas porque busquei a excelência, tenho

doutorado em educação e busco sempre mais, para compartilhar o melhor.


Você recomenda para os empreendedores a realização de cursos de capacitação e aperfeiçoamento?

Sempre! Precisamos buscar constantemente aprender sobre novas formas de fazer o que já

fazemos, sobre novas formas de empreender, sobre o mercado em que atuamos e até mesmo

autoconhecimento, ou seja, buscar constantemente conhecer a si próprio com cursos mais

coaching etc. Enfim, a busca deve ser constante e incansável.


Qual o conselho que você pode dar para um empreendedor que deseja abrir um negócio no mesmo segmento que você atua?

Tudo o que se destina à pessoa com deficiência veio, historicamente, do assistencialismo, até

mesmo o ensino. Esse é o primeiro limitador em transformar quaisquer serviços dessa área em algo (sim!) lucrativo. Diante deste cenário, minha dica é: quebre os paradigmas e não foque na área, pense na necessidade desse público alvo e transforme isso em produto, capriche na busca por conhecimento e transforme-se num verdadeiro empreendedor!



Saiba mais:

Instagram/EuKatiaLourenco

Instagram/Want.br