#CorujasCriativas, especial mês das mulheres - 6: Fabiane Ramos

Por Elizandro Duarte

-


Zona de conforto é um lugar que não existe no mundo corporativo. O profissional moderno

precisa ter a habilidade de enfrentar os mais diversos desafios e a resiliência necessária para seguir em frente. Com uma trajetória profissional em que se destaca a superação, a vontade de arriscar e de fazer a diferença, Fabiane Ramos encontrou na Sabedorama confiança!


Quando e de que forma o desejo eintrampreendedor entrou na sua vida?

Sempre me senti à vontade na área comercial, mas quando trabalhei em um banco não me senti confortável com a forma que éramos cobrados a tratar os clientes, me sentia desconfortável em tratá-los como números somente. Nesse período abri uma conta no Sicoob e fui convidada a participar do quadro de funcionários da mesma. Por me familiarizar com a forma em que a cooperativa trata seus “clientes” aceitei o

desafio.


Como você enxerga o intraempreendedorismo dentro do Sicoob?

Na verdade no Sicoob todos são donos. Isso me fez querer cada vez mais fazer parte dessa instituição. Hoje sou supervisora comercial e dou suporte a mais de 60 funcionários para alavancar as vendas e atendimentos dentro de todos os produtos que a Sicoob São Miguel oferece como seguros, consórcios, financiamentos, títulos de capitalização e muitos outros. Os benefícios e reconhecimento só aumentam!


Em sua opinião o que significa “ser intrampreendedora”?

É correr atrás dos seus sonhos, é confiar em você mesma, arriscar e sempre se desafiar.

Qual a importância do conhecimento para quem deseja ser um intraempreendedor?

O mundo não para e se pararmos ficamos para trás. Comodismo definitivamente não te leva a resultados diferentes do que você já tem hoje.


Você recomenda a realização de cursos de capacitação e aperfeiçoamento?

Com certeza, tudo que te leve a evoluir é bem vindo.


Qual o conselho que você pode dar para quem deseja empreender como colaborador?

Indico a não desistir nunca, pense no seu crescimento antes dos ganhos, se desafie, o resto é consequência.